Leia a história completa

Eritromicina was discovered in 1952 by McGuire and his collaborators in the metabolic products of Streptomyces erythreus. This microorganism was isolated from a soil sample taken in the Philippines. Clarithromycin and azithromycin are semisynthetic derivatives of erythromycin.

Macrólidos (eritromicina, claritromicina e azitromicina) derive their name from the macrocyclic lactone ring with which at least one deoxysaccharide is bound. Clarithromycin differs from erythromycin by a methyl group substituting hydrogen for the hydroxyl group at position 6, and in Azitromicina, the lactone ring contains an additional nitrogen atom with a methyl group attached to it. Due to these structural differences, azitromicina e claritromicina are more stable in an acidic environment, better penetrate into tissues and have a broader spectrum of action

Mecanismo de ação

AzitromicinaMacrólidos são antibióticos bacteriostáticos that suppress protein synthesis by reversible binding to the 505 subunit of ribosomes. Macrolides act on the same target as chloramphenicol, competitively inhibiting its binding to ribosomes. The change in the 50S subunit of the ribosomes due to a mutation, which disrupts the binding of macrolides to the target, leads to the development of drug resistance. In contrast to chloramphenicol, which prevents the formation of a peptide bond, macrolides act at the stage of translocation – the transfer of the newly synthesized peptidyl-tRNA molecule and the aminoacyl segment of the ribosome to the peptidyl region.

As bactérias gram-positivas acumulam quase 100 vezes mais eritromicina do que as bactérias gram-negativas.

No meio alcalino, a atividade antimicrobiana da preparação é muito maior, provavelmente porque em uma forma não ionizada que predomina em pH elevado, penetra nas células bacterianas muito melhor.

A resistência adquirida aos macrólidos é devida a três mecanismos principais:

  • excreção ativa da droga da célula (em estafilococos o portador é codificado pelo gene mrsA, no gene mefA de Streptococcus pyogenes, em Streptococcus pneumoniae - o gene mefE)
  • uma diminuição na afinidade dos ribossomos ao fármaco devido à sua metilação sob a ação de uma enzima metiltransferase induzida ou constitutiva (esta enzima é codificada pelos genes ermin, erbB e ermin)
  • hidrólise de macrólidos por esterases de enterobactérias (Barth61dmy et al., 1984).

The second mechanism, mediated by the genes ermin, causes stability not only to macrolides, but also to lincosamides and streptogramins (phenotype MLSB). All these drugs act on the same target, the methylation of which leads to the formation of resistance. There is another mechanism of resistance to macrolides, found in Bacillussubtilis, Campylobacter spp. and Gram-positive cocci. It is caused by chromosomal mutations that alter the structure of the protein of the 508 subunit of the ribosomes.

Application of azithromycin

Dependendo do agente patogénico e da gravidade da infecção, a dose de eritromicina para administração oral em adultos é geralmente 1-2 g / dia em várias doses (normalmente o fármaco é tomado a cada 6 h). Mesmo com uma dose de 8 g / dia no interior durante os meses 3, a eritromicina é bem tolerada. Se possível, a eritromicina e o estearato de eritromicina não devem ser tomados imediatamente antes das refeições e imediatamente depois (isto não se aplica ao estolato de eritromicina e ao succinato de etilo da eritromicina). Em crianças, a dose diária para administração oral é 30-50 mg / kg em doses divididas em 4; com infecções graves, pode ser duplicado. A injeção intramuscular não é recomendada, pois as injeções são dolorosas. Preparações para administração intravenosa (glucoheptonato de eritromicina ou lactobionato de eritromicina) são usadas em infecções graves, como a doença do legionário. A dose habitual é de 0.5-1 g IV a cada 6 horas. No tratamento da eritromicina com glicoheptonato a uma dose de 1 g IV a cada 6 horas durante as semanas 4, não foram observados efeitos colaterais significativos, com a exceção da tromboflebite no local da punção venosa.

A claritromicina é liberada na forma de comprimidos, pó para a preparação de uma suspensão para ingestão e pó para a preparação de uma solução para injeção. A droga é geralmente prescrita 2 vezes ao dia. Para infecções leves e moderadas em crianças com idade superior a 12 e adultos, uma dose única é 250 mg. Se a infecção for grave (por exemplo, pneumonia) ou causada por um microrganismo para o qual a claritromicina não é muito ativa, uma dose única é aumentada para 500 mg. Nos ensaios clínicos, as crianças com menos de 12 anos de idade foram prescritas 7.5 mg / kg 2 vezes por dia. Comprimidos de longa duração, contendo 500 mg de claritromicina, tomam 2 partes 1 tempo por dia.

A azitromicina é liberada na forma de comprimidos, suspensão para ingestão e pó para a preparação de uma solução injetável. Dentro do medicamento administrado por 1 horas antes das refeições ou 2 horas após a ingestão. No tratamento da pneumonia adquirida na comunidade, infecções por faringite, pele e tecido subcutâneo em regime ambulatório, é administrada uma dose de saturação de 500 mg no primeiro dia e uma dose de manutenção de 250 mg / dia do dia 2 ao dia 5. Para tratamento e prevenção de infecção, pacientes com AIDS usam doses mais altas. Ao mesmo tempo, para fins terapêuticos, a azitromicina é prescrita com uma dose de 500 mg / dia em combinação com um ou mais outros medicamentos. Para a prevenção primária desta infecção, a azitromicina é tomada com uma dose de 1200 mg I uma vez por semana. Na uretrite não gonocócica não complicada, o 1 g de azitromicina é administrado uma vez. Em uma dose de 2 g uma vez que a droga é eficaz na gonorreia, este nariz não é largamente usado para esta finalidade.

A azitromicina infantil é prescrita como suspensão para administração oral. Com otite média aguda e pneumonia, administra-se 10 mg / kg (não mais do que 500 mg) no primeiro dia e 5 mg / kg / dia (não mais do que 250 mg / dia) nos próximos 4 dias. Com angina e faringite, a azitromicina é tomada com uma dose de 12 mg / kg / dia (não mais do que 500 mg / dia) durante 5 dias.

Infecções por micoplasma. Erythromycin (500 mg orally 4 times a day) reduces the duration of fever, and with myco-plasma pneumonia, promotes faster normalization of the radiographic pattern (Rasch and Mogabgab, 1965). Em caso de intolerância à administração oral, a eritromicina é administrada IV. Com infecções micoplasmáticas, outros macrolídeos e tetraciclinas também são eficazes.

Doença do legionário. Erythromycin, which was previously the drug of choice for pneumonia caused by Legionella pneumophila Legionella micdadei and other representatives of Legionella spp, is now replaced by azithromycin and fluoroquinolones. A azitromicina é altamente ativa contra a legionela in vitro, acumula-se em tecidos em concentrações mais altas do que a eritromicina é conveniente em uso (é prescrito uma vez por dia) e é mais bem tolerada. A dose é 500 mg por via oral ou IV por 10-14 dias.

Side effects of Azithromycin

A eritromicina raramente causa efeitos colaterais graves. Allergic reactions include fever, eosinophilia and rash, which can be observed individually or in combination with each other. After the drug is discontinued, the symptoms quickly disappear. The most serious side effect is cholestatic hepatitis. It is caused mainly by erythromycin estolate, very rarely dosagem de azitromicina- eritromicina ethyl succinate or erythromycin stearate. The disease begins approximately 10-20 days after the beginning of treatment with nausea, vomiting and cramping pain in the abdomen. The pain is often the same as when | acute cholecystitis, which may serve as an excuse for unnecessary surgical intervention. Soon there is jaundice, sometimes accompanied by fever, leukocytosis, eosinophilia and increased activity of aminotransferases. When liver biopsies are detected, cholestasis, periportal infiltration by neutrophils, linfócitos e eosinófilose, às vezes, necrose de hepatócitos. As manifestações de hepatite raramente persistem por mais de alguns dias após a retirada da droga. Talvez, a hepatite colestática ocorra como resultado de uma reação alérgica ao estolato da eritromicina. Talvez um ligeiro aumento na atividade das enzimas hepáticas no soro.

Quando a ingestão, especialmente em grandes doses, eritromicina muitas vezes causa dor epigástrica, por vezes bastante grave. Com iv introdução, distúrbios gastrointestinais também são possíveis - dores de cãibra no abdômen, náusea, vômito, diarréia. Está demonstrado que a eritromicina aumenta a motilidade do trato gastrointestinal, ligando-se aos receptores da motilina. Os distúrbios gastrintestinais são dose-dependentes e são mais comuns em crianças e jovens. Infusão mais longa (dentro de 1 h) e a prescrição de glicopirrogenação de brometo suavizam esses sintomas. A injeção IV da droga na dose de 1 g, mesmo quando diluída em um grande volume de líquido, é freqüentemente acompanhada de tromboflebite. Com uma introdução lenta, o risco dessa complicação é reduzido.

Mostrar todos os resultados 3